Avançar para o conteúdo principal

Azulejaria - painel moderno

Da azulejaria tradicional à moderna


O abstrato na azulejaria

Tal como a arte em geral, a azulejaria tem passado por processos de transformação, tanto nas técnicas como nos elementos de composição. A pintura em azulejo e as suas técnicas têm sofrido alterações ao longo dos tempos, num processo normal de evolução.
Também os instrumentos têm aparecido dos mais variados, nomeadamente aqueles que permitem sulcar o próprio vidrado em cru, transformando a sua superfície numa área de textura rugosa. Com esses instrumentos, uns mais elaborados e outros mais simples, servindo estes - como um velho e vulgar canivete - por exemplo, outros objetivos, podem, contudo, com a sua utilização, favorecer artisticamente a composição.
O ArteAzul-Atelier, sem desprimorar a tradição da representação figurativa, tem vindo a fazer novas experiências segundo a corrente estética moderna no domínio do chamado abstracionismo. Neste domínio, salientamos a execução de dois painéis de que mostramos excerto de um deles. Estes dois trabalhos concorreram ao Prémio de Pintura e Desenho organizado pela Cooperativa Árvore, integrado no III Congresso de Trás-os-Montes e Alto Douro que decorreu em Bragança, em Setembro de 2002.
As dimensões que temos vindo a utilizar para os azulejos que pintamos são 15cm x 15cm com espessuras de 4 ou 8 milímetros.
Não querendo pintar-se um painel, isto é, uma obra com vários azulejos, pode optar-se pela pintura em unidades de azulejo. Cada um destes constituirá, eventualmente, uma obra de azulejaria. Assim, no Atelier, pintámos quatro unidades de azulejo onde, em cada uma delas, se representou uma estação do ano. Para isso, escolheram-se elementos simples da Natureza: uma árvore, flores, frutos, folhas e passarinhos.
Estes elementos identificam as estações. As cores utilizadas foram as tradicionais na Azulejaria: o azul cobalto e o amarelo século XVIII.

Comentários