Pintura a óleo

A Cor


A busca da cor a partir de modelos naturais

O elemento que distingue universalmente a pintura, nomeadamente a pintura a óleo, de outras manifestações plásticas é a cor. Tanto no passado como no presente, as obras pictóricas são representações plásticas em que a cor é o elemento principal. O meio material da cor em todas as técnicas de pintura é uma substância corante conhecida como pigmento.
Assim, o primeiro passo na iniciação à pintura em geral é o conhecimento teórico e prático das cores. A busca da cor a partir de modelos naturais é um bom exercício para uma boa prática da arte de pintar.
A técnica da utilização da tinta a óleo na Pintura foi, durante longos anos, a mais difundida e, consequentemente, a mais conhecida entre os artistas. A Pintura a Óleo consegue reproduzir exactamente as cores dos modelos e é um processo lento no que diz respeito à secagem das tintas. Assim, o Pintor pode facilmente fazer alterações à sua obra com a tinta ainda fresca. Sendo a pintura a óleo das técnicas mais nobres e tradicionais, há quem diga que ela é ideal para principiantes.
A pintura a óleo surgiu no século XV e a sua invenção é atribuída ao pintor flamengo Jan Van Eyck, pintor naturalista, dando importância nas suas obras aos pormenores e cores vivas. Tornou-se, desde essa época, uma das técnicas mais difundidas entre os artistas.
A pintura a óleo identifica-se pelo colorido quente, pela tinta encorpada que marca a tela com saliências e pela fusão característica das tonalidades. Permanece estável face à acção do tempo e da luz.
Todas as técnicas utilizadas em pintura recorrem a dois elementos básicos: o pigmento e o aglutinante. Os pigmentos - substâncias corantes -, são comuns às diferentes técnicas. As substâncias aglutinantes é que determinam e dão nome a cada uma dessas técnicas. Na pintura a óleo, o aglutinante é, precisamente, o óleo.
Na fabricação da tinta a óleo, o pigmento é diluído em óleos mais ou menos densos, como o óleo de linhaça que é o mais utilizado. No entanto, existem outros como por exemplo o óleo de papoila, de nozes, etc. Para que a diluição se realize da melhor forma é necessário acrescentar um solvente como é a essência de terebintina, vulgarmente conhecida como aguarrás.

Comentários

Mensagens populares deste blogue